quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Campanha recolhe lâmpadas fluorescentes em Brasília
Emerson F. Tormann12:06

Lâmpadas possuem componentes tóxicos que podem ser nocivos ao ser humano e à natureza. Ponto de recolhimento foi instalado na agência da Companhia Energética de Brasília (CEB) da 508 sul.








Fonte: Ingridy Peixoto - Radioagência Nacional

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Campanha estimula conciliação em conflitos que foram parar na Justiça
Emerson F. Tormann15:48

Com o tema "Conciliar: bom para todos, melhor para você", já está valendo a campanha da Semana Nacional da Conciliação de 2014




Com o tema "Conciliar: bom para todos, melhor para você", já está valendo a campanha da Semana Nacional da Conciliação de 2014. A nona edição do evento ocorre entre 24 e 28 de novembro. Durante esses dias, quem tem ação tramitando na Justiça federal, estadual ou do Trabalho tem a chance de negociar com a outra parte, diante de um conciliador.

O objetivo da semana é conscientizar as pessoas de que há formas mais simples de resolver conflitos, como lembra Emmanoel Campelo, coordenador do Comitê Gestor do Movimento pela Conciliação do CNJ, o Conselho Nacional de Justiça:

"O brasileiro, exatamente porque confia muito no seu Judiciário, ele acha que a solução tem que ser dada necessariamente por uma sentença judicial, por um juiz. Enfim, não se busca mais o diálogo. Então, às vezes nas questões mais simples, mais cotidianas, sequer as pessoas buscam dialogar para resolver. E acaba que tudo deságua no Judiciário."

A conciliação ajuda a desafogar a Justiça brasileira, que no ano passado, segundo o Relatório Justiça em Números, teve de lidar com 95 milhões de processos, sendo 67 milhões de anos anteriores.

Regida por uma resolução (Resolução 125/10) do CNJ, a conciliação é uma forma mais rápida e barata de resolver conflitos. Um acordo com validade jurídica pode ser a solução para disputas de pensão alimentícia, divórcio, desapropriação, acidentes de trânsito, dívidas em bancos ou problemas de condomínio, entre outros casos. Na semana de conciliação de 2013, das cerca de 350 mil audiências realizadas em todo o País, mais de 180 mil resultaram em acordo.

Na Câmara dos Deputados, tramitam duas propostas vindas do Senado sobre assuntos semelhantes. Uma é o projeto de Lei da Arbitragem (PL 7108/14), aprovado por comissão especial e aguardando análise de recurso para que seja analisado também pelo Plenário. O texto amplia a atuação de arbitragem e inclui na lei atual contratos da administração pública, disputas de participação societária, relações de consumo e relações trabalhistas de executivos e diretores de empresas.

Para o relator da matéria na comissão especial, deputado Edinho Araújo (PMDB-SP), a conciliação é uma tendência mundial:

"O mundo, cada vez mais econômico e mais globalizado, exige, portanto, instrumentos que possam dirimir esses conflitos sem estar no conjunto desse emaranhado e desse Poder Judiciário que não resolve questões de forma imediata."

A outra proposta em análise na Câmara é o projeto de Lei da Mediação (PL 7169/14), que regulamenta a mediação para a solução de controvérsias no serviço público. A matéria aguarda análise na Comissão de Constituição e Justiça, mas já foi aprovada pela Comissão de Trabalho, onde teve como relator o deputado Alex Canziani, do PTB do Paraná:

"Esse é um projeto, que eu vejo, de um grande alcance social. Vai ser uma nova maneira de nós podermos tratar as questões que nós temos no País, inclusive no poder público."

Para a Semana Nacional de Conciliação, os tribunais de Justiça selecionam os processos com possibilidade de acordo e intimam as partes envolvidas para negociar. O cidadão ou a instituição com interesse em incluir seu processo na semana deve procurar com antecedência o tribunal onde o caso tramita.

Reportagem: Noéli Nobre
Categoria : , ,

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Demanda por talentos está em alta
Emerson F. Tormann09:02

Fernanda Amorim: currículos focados em TI
e também em gestão de projeto

A demanda por executivos para a área de meios eletrônicos de pagamento pode crescer de 15% a 30% em 2015, segundo consultorias de recrutamento. Novos nichos de mercado, como o de pagamentos via celular, devem levar à abertura de mais vagas e forçar adaptações dos profissionais na ativa. "Serão exigidos candidatos para o desenvolvimento e lançamento de novas tecnologias e ampliação de sistemas existentes", diz Fernanda Amorim, sócia da consultoria Odgers Berndtson do Brasil.

Segundo a especialista, que observa o interesse de contratação em multinacionais, empresas de pequeno porte e startups, as diretorias procuram gestores com perfil inovador. "Querem currículos na área de tecnologia da informação (TI), focados em gestão de projetos e desenvolvimento de mercado". No ano passado, a consultoria recrutou três posições de gerência ou superior e a previsão para 2014 é terminar o ano com quatro contratações no segmento.

Fernanda afirma que o mercado também mostra sinais de transformação. "O crescimento irreversível do mobile payment (pagamento com celular) demanda atualizações dos profissionais e aumenta a procura por talentos captados em consultorias estratégicas e no setor de serviços financeiros".

Foi o que aconteceu com Igor Marchesini, ex-gerente da consultoria Bain, convidado, no ano passado, para montar a operação da alemã SumUp no Brasil, logo depois de concluir um MBA em Stanford, na Califórnia. A marca oferece um leitor de cartões de crédito acoplado ao celular.

"Nessa área, mais do que experiência, é preciso ser inovador e pensar fora da caixa", diz Marchesini. Munido dessa ideia, o diretor formou uma equipe com 22 funcionários, sendo cinco em posições estratégicas. "São líderes jovens, de 25 a 29 anos, com muito potencial e currículos construídos em áreas diversificadas".

Para se ter uma ideia, o gerente de desenvolvimento de negócios Saulo Tristão é formado em engenharia aeronáutica e já representou o Brasil nas provas de hipismo das Olimpíadas de Pequim, em 2008. Sem experiência na área de vendas, trabalhou no exterior, em empresas como Google e Airbus. Já o braço direito de Marchesini no departamento financeiro, Ticiano Vieira, é engenheiro físico e prestava consultoria para indústrias automotivas nos Estados Unidos. Atualmente, a SumUp tem 30 vagas em aberto. Pelo menos, dez colocações estão reservadas para líderes que serão contratados até 2015 para atuar no combate a fraudes e atendimento ao cliente.

A diversidade profissional também é uma tendência nos gigantes no setor. Roberto Dumani, vice-presidente de desenvolvimento organizacional da Cielo, com 1,5 mil colaboradores, diz que a heterogeneidade na formação dos funcionários é uma marca do quadro da companhia. "Valorizamos técnicos em TI, operações e finanças, mas contamos também com graduados em ciências humanas e sociais", diz. "Buscamos talentos com perfil voltado para a inovação".
Leia mais em:
http://www.valor.com.br/carreira/3766584/demanda-por-talentos-esta-em-alta#ixzz3IBscgz9p
Categoria : , ,

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Ano de 2015 terá 12 feriados prolongados
Emerson F. Tormann14:11

O próximo ano promete para quem gosta de feriadão. Apenas uma data comemorativa cai no fim de semana, novamente a Proclamação da República, 15 de novembro. Os feriados com dias fixos de 2015 ocorrem, na maioria, nas segundas ou nas sextas-feiras. Os demais feriados, como 1º de janeiro, Tiradentes e Corpus Christi caem em terças ou quintas-feiras. Só considerando essas datas, serão três dias enforcados, sem levar em conta a segunda-feira de carnaval, e outros 10 dias sem trabalho com paradas prolongadas ao longo do ano.

Folgas de 2015
  • 1º janeiro Confraternização Universal/Quinta-feira
  • 17 fevereiro Carnaval/Terça-feira
  • 3 abril Paixão de Cristo/Sexta-feira
  • 5 abril Páscoa/ Domingo
  • 21 abril Tiradentes/Terça-feira
  • 1 maio Dia do Trabalho/Sexta-feira
  • 4 junho Corpus Christi/Quinta-feira
  • 7 setembro Independência do Brasil/Segunda-feira
  • 12 outubro Nossa Senhora Aparecida/Segunda-feira
  • 2 novembro Finados/Segunda-feira
  • 15 novembro Proclamação da República/Domingo
  • 25 dezembro Natal/Sexta-feira
Os feriados são ótimos para os trabalhadores e para a indústria do turismo, mas os comerciantes reclamam.O porta-voz do Sindicato do Comércio Varejista do Distrito Federal (Sindivarejista), Kleber Sampaio, conta que muitos lojistas têm manifestado preocupação com os feriados prolongados do ano que vem. “Na próxima quinta-feira, a diretoria vai se reunir para analisar o calendário do próximo ano, mas só decidimos em quais feriados as lojas funcionam em uma convenção coletiva que ocorre em 1º de maio. Se essa quantidade de feriados for mesmo confirmada, o comércio certamente será prejudicado”, afirma.

Segundo o presidente da Fecomércio, Adelmir Santana, o ano de 2015 vai ser complicado para as vendas. “A perspectiva da economia já não é boa, as elevações dos preços, juros e a inflação já vão impactar o comércio. A grande quantidade de feriados diminui ainda mais o crescimento”, acredita Adelmir. O problema é que, com os feriados, parte da população viaja e, por isso, as vendas no DF caem. Santana antecipa que está sendo discutido um projeto que passa esses feriados para as segundas ou as sextas-feiras, acabando com os dias enforcados.