quarta-feira, 1 de julho de 2015

EDP entra em eficiência energética
Emerson F. Tormann06:33

Energia; funcionário (Foto: Thinkstock)

Um ano após a criação de seu braço de serviços em energia, a EDP Energias do Brasil pretende acelerar a expansão no segmento. Ontem, a companhia anunciou a compra da APS, empresa do Rio Grande do Sul que atua em operações para eficiência energética, por R$ 27 milhões.

Há 23 anos no mercado, a APS teve receita de R$ 20 milhões no ano passado, mais que os R$ 12 milhões faturados pela EDP Grid, braço de serviços da Energias do Brasil. "Essa aquisição acelera o passo de crescimento da EDP Grid e diversifica nossa atuação para um mercado que está em franco crescimento", afirmou Setas.

O mercado de eficiência energética hoje movimenta apenas R$ 2 bilhões ao ano no Brasil, mas tem potencial para chegar a até R$ 4 bilhões em 2018, aponta a EDP, citando consultorias de mercado. Neste ano, com o forte aumento das tarifas de energia, empresários relatam um aumento expressivo na demanda por serviços de racionalização do uso da eletricidade.

O potencial do segmento vem atraindo grandes empresas. Em março, a CPFL Energia anunciou a criação da CPFL Eficiência. As entrantes vão competir com pesos-pesados como a Light Esco e a Efficientia, do grupo Cemig.

Na aquisição da APS, metade do pagamento será à vista e os R$ 14 milhões restantes ao longo de cinco anos. O valor pode aumentar caso sejam atingidas metas de desempenho. A expectativa é que a transação seja concluída até o fim deste ano.

De acordo com Setas, a EDP analisou mais de 20 empresas no segmento e a escolha pela APS veio da carteira qualificada, com mais de 600 clientes comerciais e industriais, bem como a qualificação da equipe técnica. A companhia vai oferecer os serviços de eficiência energética em complemento àqueles de comercialização, segmento onde a EDP já é a terceira maior no país. "Vamos oferecer um pacote cada vez mais completo para o cliente", afirma Carlos Andrade, vice-presidente de comercialização do grupo.

Em 2014, o braço de comercialização teve resultado operacional de R$ 100 milhões, ou cerca de 5% dos R$ 1,9 bilhão registrados pela EDP Brasil como um todo.

Mas o segmento vem crescendo a taxas de dois dígitos. "Esse é um setor em que há grande possibilidade de expansão", afirma o presidente Miguel Setas.

Fonte: Valor


Torre de TV - Brasília / DF
Sobre o blogueiro Emerson F. Tormann Possuo conhecimentos avançados em engenharia de redes de computadores e infra estrutura de servidores (o famoso CPD). Cabeamento estruturado: lógica, elétrica estabilizada (nobreak/gerador) e telefonia (centrais telefônicas). CFTV e sistemas de monitoramento e inspeção remotos. Facebook e Twitter