quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Cartilha do Síndico foi lançada hoje pela ASSOSÍNDICOS-DF
Emerson F. Tormann13:50

O presidente da ASSOSÍNDICOS-DF, síndico Paulo Roberto Melo acompanhado das presidentes da ASSOSÍNDICOS Plano Piloto Eronice e Águas Claras Agda, lançaram hoje a cartilha do síndico no SQS 304 bloco k, com aproximadamente 30 síndicos presentes.

Estiveram presentes também os Diretores de Relacionamento Helio Paes Leme, Jurídico Anderson Machado e de Saúde e Qualidade de Vida Gustavo Machado.

De acordo com o síndico Carlos de um edifício da 504 sul, “essa cartilha vai ajudar ainda mais a minha gestão, quero agradecer à ASSOSÍNDICOS-DF por mais esse serviço para os gestores de condomínios” comentou o síndico Carlos.

A presidenta da ASSOSÍNDICOS Plano Piloto síndica Eronice Souza Lima, falou que “eu estou muito feliz em estar aqui no condomínio em que eu administro lançando uma cartilha para os síndicos, cartilha essa de conteúdo e qualidade que já está disponível online” falou a responsável pela ASSOSÍNDICOS Plano Piloto.



Já o Diretor Jurídico da ASSOSÍNDICOS Anderson Machado, falou que “a cartilha traz informação e apoio ao síndico lembrando que a ASSOSÍNDICOS tem um bom corpo jurídico à disposição da comunidade gratuitamente” concluiu o diretor.

O presidente da ASSOSÍNDICOS Distrito Federal Paulo Roberto Melo falou que “essa cartilha foi elaborado por um grupo de trabalho da ASSOSÍNDICOS-DF, composto por advogados, administradores, contadores e síndicos com a minha coordenação para que possamos dar mais uma força na gestão de síndicos e síndicas, com essa cartilha quero reafirmar o nosso compromisso com os gestores de condomínios do DF e entorno” finalizou o presidente.

Se você se interessou pela cartilha do síndico, você já pode entrar no site da ASSOSÍNDICOS-DF, que a cartilha do síndico já está disponível pelo site www.assosíndicos.net

ASSOSÍNDICOS-DF abre inscrições de 12 cursos voltados para condomínios
Emerson F. Tormann13:42

No último dia 13/01 o presidente da ASSOSÍNDICOS-DF Síndico Paulo Roberto Melo lançou juntamente com os diretores de educação, qualificação e relacionamento e promoção de cursos lançou o Programa Escola de Síndicos que visa qualificar somente em 2014 mil e quinhentas pessoas em doze cursos gratuitos que serão oferecidos para os síndicos, subsíndicos, conselho fiscal, funcionários de condomínios e moradores.

De acordo com o presidente da ASSOSÍNDICOS-DF, Síndico Paulo Roberto Melo, “o Programa Escola de Síndicos lançado nessa segunda-feira, já é o maior programa de educação gratuito voltado para os funcionários, gestores e moradores já oferecido em nosso país mais uma vez estamos saindo na frente e criando esses cursos gratuitos para as pessoas ligadas aos síndicos e com compromisso na gestão de condomínios” resaltou Paulo Roberto Melo.

Já o Diretor de Qualificação Rômulo Rosa Araújo, falou que “os cursos da Escola de Síndicos são todos gratuitos, de qualidade em diversas cidades do DF e entorno” falou o diretor de qualificação.

Já o síndico em um edifício o cruzeiro Romão Miron falou, “os cursos são sempre bem vindos, pois com eles temos uma forma de melhorar e conhecer novas pessoas”.

Os cursos vão ocorres nas cidades de Águas Claras, Vicente Pires, Cruzeiro, Ceilândia, Samambaia, Jardim Botânico e Plano Piloto Curso de Primeiros Socorros, Organização de Eventos, Prevenção e Segurança no Condomínio, Relações Interpessoais no Condomínio, Engenharia de elevadores em condomínios, Administrando bem o condomínio, Gestão de Condomínios, Agente de Zeladoria, Agente de Portaria, Sustentabilidade em condomínios, Noções de contabilidade em condomínios, Riscos elétricos em condomínios, Síndico Profissional.

Para fazer a pré-inscrição você tem que entrar no site www.assosíndicodf.com.br e preencher o formulário após o preenchimento do formulário a ASSOSÍNDICOS irá te mandar um e-mail com o local e horário dos cursos.



domingo, 19 de janeiro de 2014

Cuidados na contratação do síndico profissional
Emerson F. Tormann03:40

Síndico profissional virou a profissão do momento para resolver as diversas situações nos condomínios. A denominação síndico profissional se dá em função do exercício remunerado do cargo de síndico, uma vez que a profissão ainda não está regulamentada.

Para se tornar um síndico profissional, além de aptidão no relacionamento interpessoal e habilidade em resolver às questões inerentes à vida condominial, o mercado tem exigido pessoas com experiência anterior na atividade, que tenham disponibilidade de comparecer no condomínio pelo menos duas vezes na semana em visitas de 4 horas.

Profissional que tem exercido a atividade tem como características principais a formação em curso superior, idade entre 45 e 65 anos e atualização constante nos cursos específicos oferecidos pelo mercado. O síndico profissional precisa ainda de conhecimento básico em departamento de pessoal, legislação, contabilidade e administração.

Antes de contratar um síndico profissional é muito importante obter referência nos prédios em que ele presta ou prestou serviços, verificar se ele não tem problemas com a justiça, e por fim, formalizar a contratação através de um contrato de prestação de serviços estabelecendo os horários e visitas ao condomínio, ajustando as necessidades de cada condomínio ao exercício da atividade a ser realizada pelo contratado.

Após estas verificações, o condomínio precisa aprovar a contratação do profissional em assembleia, especialmente convocada para este fim, e por maioria simples de votos.

Apesar da realização de um contrato de prestação de serviços é importante ajustar a forma de pagamento. Alguns síndicos têm empresas abertas e podem emitir nota fiscal. Para aqueles que não podem emitir nota fiscal é importante o recolhimento dos impostos inerentes à atividade exercida.

A contratação de um profissional sem o perfil para o exercício da atividade pode trazer grande problema ao condomínio. Um profissional mal intencionado pode fazer contratações almejando receber participação dos prestadores de serviços e o recebimento de cotas condominiais sem multa. O mal profissional busca ganhar os condôminos pela amizade, diferente do bom profissional que almeja a execução do seu trabalho conforme ajustado, observando o cumprimento do regimento interno e da convenção. Apesar de ser cordial, a sua prioridade é o cumprimento do contrato.

Desta forma, é salutar o acompanhamento e evolução do trabalho do síndico profissional pelo conselho, seja ele consultivo ou fiscal. O grande erro que os condomínios comentem é contratar um síndico profissional e abandoná-lo acreditando que terão seus problemas resolvidos, por terem contratado um profissional. Este profissional tem autonomia relativa, devendo trabalhar dentro do estabelecido pelo conselho e se reunindo com ele mensalmente para dar e ter “feedback” das suas funções.

Uma vez por ano, na assembleia de prestação de contas, sugere-se que o profissional apresente um relatório das atividades realizadas e propostas para a nova gestão. O condomínio funciona como uma empresa e o síndico profissional seria o presidente desta corporação.

O mercado está extremamente aquecido para esta atividade, a remuneração varia de R$ 1,5mil á R$ 8 mil, por edifício, e estes profissionais costumam estar a frente da gestão de mais ou menos 10 condomínios.

fonte: Diário de Suzano

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Dedetização
Emerson F. Tormann15:33



A cada seis meses os condomínios precisam contratar uma empresa para fazer dedetização completa no local. Mas, como escolher uma empresa boa e eficiente? Com certeza essa é uma pergunta que todos os síndicos e gestores de condomínios sempre fazem quando precisam contratar uma dedetizadora.
Existem muitas empresas boas, mas também existem empresas que se passam por boas e decepcionam no momento do serviço. A maior preocupação e não colocar em risco a saúde dos moradores e ao mesmo tempo afastar as pragas”.
Cuidados com a mistura do veneno e qualidade dos produtos, tipos de combate, garantia do serviço, cheiros dos produtos e manchas, cuidados com animais, idosos, crianças e alérgicos são assuntos fundamentais a serem discutidos com a empresa contratada.
Para auxiliar na escolha certa, segue abaixo algumas dicas para não errar na hora de contratar uma empresa de dedetização:
1º Cuidado – Mistura do veneno
O primeiro cuidado é pedir que a empresa faça a mistura do veneno na hora da aplicação. O motivo é simples: você precisa se certificar de que o veneno usado é de qualidade. Muitas empresas dizem que usam produtos de grandes marcas ou fabricantes quando, na verdade, usam venenos de má qualidade ou até mesmo caseiros. Se a empresa disser que levará a embalagem do produto para lhe mostrar, não aceite.
2º Cuidado – Tipos de Combate
Para cada praga há uma forma de combate diferente, podendo variar o produto utilizado e a forma de aplicação. Há aplicações que são feitas apenas em rodapés, em outras são necessárias aplicações no rodapé e roda-teto, como também no telhado ou piso. Há diferença ainda no tipo de veneno a ser usado.
3º Cuidado - Garantias
O terceiro cuidado é com relação a garantidas oferecidas pelas dedetizadoras. Cuidado com garantias muito longas. Fornecedores de produtos de dedetização de qualidade não oferecem mais do que 3 meses para controle da maioria das pragas.
4º Cuidado – Cheiro de Produtos
Venenos de qualidade geralmente não tem cheiro forte e em muitos casos são inodoros. Saiba ainda que empresas e aplicadores individuais, conhecidos como Zé Bombinhas, fazem misturas que contém apenas querosene deixando um cheiro forte após a aplicação, mas que não tem nenhuma efetividade.
5º Cuidado – Manchas causadas por dedetização
No mercado há todo tipo de produtos e de profissionais de dedetização e por isso você já pode ter escutado alguma história sobre dedetização ter causado manchas. Essas histórias podem ser verdadeiras, mas os produtos de qualidade não oferecem perigo de mancha para pintura, móveis ou roupas.
6º Cuidado – Animais
Quem tem animais muitas vezes fica com medo de contratar dedetização. Nesse sentido, uma série de cuidados devem ser tomados pela dedetizadora, cada cuidado especifica para o tipo de produto a ser usado. O cliente deve manter o animal afastado no momento da aplicação do produto de dedetização, para que o mesmo não veja os locais e não fique curioso.
7º Cuidado – Crianças, Idosos e Alérgicos
Em locais onde há crianças menores de 6 anos, pessoas alérgicas ou idosos devemos ter um cuidado especial. Esse público necessita da aplicação de venenos menos agressivo. Há linhas de produtos de dedetização usados especificamente nesses casos que apesar de mais caras, são essenciais para o bem estar dessas pessoas. Lembre-se sempre de avisar sua dedetizadora sobre a faixa etária das pessoas que frequentam o local a ser dedetizado.

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Em 3 meses os moradores poderão voltar ao prédio que explodiu na 409 Norte
Emerson F. Tormann22:33

A estrutura segue escorada para evitar desabamento


Os moradores e lojistas do prédio alvo de explosão na 409 Norte, há um mês, terão de esperar mais três meses para voltar ao bloco. A informação é do engenheiro responsável pelas obras, João Sales. Segundo ele, o condomínio tem seguro para cobrir os danos, mas é preciso aguardar a liberação dos laudos do Corpo de Bombeiros e da Polícia Civil para que as obras comecem.

Somente funcionários da empresa contratada para a reconstrução do edifício estão autorizados a entrar no local. A estrutura segue escorada para evitar desabamento.

Até hoje, ainda há escombros para serem retirados do bloco e as 73 lojas e apartamentos afetados pelo estouro permanecem interditados.

Assista à reportagem da TV Brasília

Categoria :

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Projeto de Raupp obriga condomínio a individualizar hidrômetros
Emerson F. Tormann11:47

FUG/PMDB com informações da Agência Senado

10 de janeiro de 2014
Brasília (DF) – As tarifas dos serviços de abastecimento de água e de esgotamento sanitário deverão ser cobradas individualmente dos consumidores nos condomínios residenciais. Isso é o que determina projeto de lei, de autoria do senador Valdir Raupp (RO), que está pronto para ser incluído na pauta de votações da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ).

Na justificação de sua proposta (PLS 179/2006), Raupp observa que a cobrança das tarifas do modo como se dá atualmente, baseada no consumo total do condomínio e repartidas entre os condôminos na proporção de suas frações ideais, dá origem a uma distorção pela falta de correlação entre os valores das contas de água e o consumo de cada unidade residencial, sendo importante fator de incentivo ao desperdício.

O projeto tem relatórios favoráveis à aprovação também na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) e na Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR).