Atualização de instrução normativa garante ao técnico Industrial realizar laudo de avaliação imobiliária

Foto: Emerson Tormann

Foi publicada no Diário Oficial da União, no último dia 15, a atualização da instrução normativa RFB Nº 2.122 onde, entre outras alterações, garante a participação dos técnicos industriais.


O novo texto Altera a Instrução Normativa RFB nº 2.091, de 22 de junho de 2022, que estabelece requisitos para arrolamento de bens e direitos e define procedimentos para a formalização de representação para propositura de medida cautelar fiscal.

Assim, entre outras modificações, a redação sobre a inclusão dos Técnicos Industriais ficou como apresentando abaixo:


"Art. 5º ......................................................................................................

....................................................................................................................

§ 2º ............................................................................................................

....................................................................................................................

IV - ...............................................................................................................

a) no caso de laudo de avaliação, engenheiro, arquiteto, agrônomo ou técnico industrial, inscrito nos Conselhos Regional e Federal de Engenharia e Agronomia (Crea/Confea) ou nos Conselhos de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR) e dos Estados e do Distrito Federal (CAU/UF) ou nos Conselhos Federal e Regional dos Técnicos Industriais (CFT/CRT), com especialização em avaliações e perícias; e

Porquê isso é importante?

Historicamente os técnicos industriais vêm sofrendo discriminação por parte de outras classes profissionais que insistem em desqualificar as atribuições previstas em lei. Fato essa que culminou com a criação do conselho próprio em 2018 e que vêm dando autonomia às atividades exercidas por profissionais de diferentes formações no âmbito da engenharia, tecnologia, inovação, sustentabilidade entre outras. O exemplo deste movimento é a própria atualização desta norma.

O que é uma medida cautelar fiscal?

São instrumentos jurídicos de garantia de resultado de execução de ações na justiça do estado em desfavor de contribuintes em débito com o Fisco assegurando a disponibilidade dos bens do devedor para sanar dívida líquida e certa.

Visando garantir a execução fiscal, foi prevista a ação cautelar fiscal, com a qual se pode pleitear a indisponibilidade dos bens do contribuinte em débito para com o Fisco, até o valor do respectivo débito, acautelando o pagamento devido aos cofres públicos.

Para saber mais sobre a alteração da norma, clique aqui.

Leia na íntegra a IN RFB Nº 2.091, de 22 de junho de 2022.


Emerson Tormann

Técnico Industrial em Eletrônica com especialização em Tecnologia da Informação e Comunicação. Especialista em inspeção predial. Editor chefe na Atualidade Política Comunicação e Marketing Digital Ltda. Jornalista e Diagramador - DRT 10580/DF. Sites: https://etormann.tk e https://atualidadepolitica.com.br

Postagem Anterior Próxima Postagem