domingo, 22 de março de 2020

Participe da força tarefa para combater o coronavirus produzindo dispositivos de ventilação assistida (respiradores)
Emerson Tormann02:00



Caros Colegas,

Sou professor titular do Programa de Engenharia Biomédica da COPPE/UFRJ e há pouco tempo assumi a chefia do Laboratório de Engenharia Pulmonar e Cardiovascular do Programa.

Como os mais informados de vocês já sabem, estamos vivendo uma pandemia mundial de efeitos avassaladores e desafiadores para todo e qualquer sistema de saúde, em particular se o pico local da epidemia não for atenuado com medidas periféricas como o controle social.

Independente das ações ora em curso, a evolução de casos no Brasil (São Paulo e Rio em particular) se assemelha muito mais às da Itália e Espanha do que dos países orientais. Em breve aqui, como já acontece na Itália, as equipes de emergência terão que eleger quais pacientes ocuparão os leitos disponíveis de UTI e terão acesso a um ventilador mecânico, e quais serão deixados à própria sorte ou a cuidados paliativos. A gravidade dessa epidemia, por sua evolução, somente é comparável à gripe espanhola (H1-N1) havida há 100 anos.

Em nosso laboratório estamos estudando a viabilidade de desenvolver um modelo de ventilador mecânico de baixo custo e complexidade, que possa ser construído em massa, em pouco tempo e com os recursos disponíveis no mercado nacional, dadas as atuais dificuldades de importação. O equipamento tem que permitir a ventilação mecânica com diferentes concentrações de O2, e não causar barotrauma. Testamos uma versão, que aparentemente funciona, envolvendo o emprego de uma válvula Boussignac e válvulas solenoides, mas não atinge (ainda?) as condições ideais de ventilação invasiva.

Há dois dias tomamos conhecimento de que o Reino Unido lançou um edital mundial para a submissão de propostas de ventiladores já existentes e aprovados para uso clínico em pelo menos um país, que seja factível na Inglaterra. Creio que é oportuno pensarmos em adotar um esforço coletivo semelhante, visando salvar vidas de nossas comunidades. Assim como na grande guerra, “em que fábricas de penicos passaram a produzir capacetes”, imagino particularmente que um fabricante de eletrodomésticos possa redirecionar uma linha de produção para atender a essa demanda capital.

Enquanto isso não se faz possível, outras medidas mais ágeis podem ser realizadas. Por exemplo, imagino que apenas nos hospitais públicos haja centenas de ventiladores necessitando manutenção, mas que vêm sendo deixados de lado em troca de novos aparelhos. Afinal, como muitos sabem, muitas vezes é mais fácil a gente comprar um equipamento de alto custo do que consertar um!

No momento, precisamos de voluntário para tratar de:

A- fabricação da válvula Boussignac
B- fabricação da válvula de PEEP (mola - membrana)
C- contato com os fabricantes que possam se associar ao projeto em domínio público
D- Contato com fabricantes e distribuidores de oxigênio medicinal para instalar bicos em hospitais
E- contato com fornecedores de circuitos ventilatórios e conexões
F- Instrumental de monitorização da ventilação no leito, dado que nosso ventilador é cego
G- contato com produtores, distribuidores de HELMETs e máscaras
H- etc

Voluntários devem entrar no grupo público de Facebook

COVID-19 Air BRASIL - Fast production of assisted ventilation devices

ou preencher a lista de interesse caso não tenha Facebook

Lá espero que vocês consigam se aglutinar grupos menores específicos, skype, email, whatsapp etc. para cuidar desses diferentes pontos ou outros que surgirem.

Atenciosamente

Jurandir Nadal

quarta-feira, 4 de março de 2020

Refrigerista morto em explosão em Goiás não era técnico, esclarece CRT
Emerson Tormann09:23

Explosão de cilindro adaptado mata auxiliar de manutenção durante conserto de ar-condicionado | Foto: Polícia Civil de Goiás
Explosão de cilindro adaptado mata auxiliar de manutenção durante conserto de ar-condicionado | Foto: Polícia Civil de Goiás

O Conselho Regional dos Técnicos Industriais da 1ª Região (CRT-01), que representa os profissionais do Acre, Amazonas, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Roraima e Tocantins, emitiu ontem (2) nota lamentando a morte do auxiliar de manutenção Flávio Antônio Almeida, 44, em Quirinópolis (GO), a 292 quilômetros de Goiânia, na tarde da última sexta-feira (28).

Embora a imprensa tenha noticiado o acidente informando que a vítima era técnico da área, uma vez que estava realizando manutenção num aparelho de ar condicionado no momento da explosão do que aparentava ser um cilindro de transporte de fluido refrigerante adaptado para limpeza, ele não era habilitado pelo Conselho Federal dos Técnicos Industriais (CFT).

“Técnico é o profissional com formação acadêmica [reconhecida pelo Ministério da Educação] e devidamente registrado em seu conselho de classe para o exercício da profissão”, explicou o CRT-01.

Por essa razão, a autarquia reiterou a importância da contratação de profissionais cadastrados no sistema CFT/CRT para a realização de serviços de instalação e manutenção de equipamentos de refrigeração e ar condicionado.

“O CRT-01 trabalha intensamente para evitar esse tipo de tragédia e conta com a compreensão de toda a sociedade”, disse a entidade, em nota assinada por seu presidente, o técnico em agrimensura Luís Roberto Dias.

Segundo reportagem do Portal G1, a Polícia Civil realizou perícia no local do acidente e revelou que a explosão ocorreu devido a uma alta pressão dentro do cilindro, ressaltando que ainda não é possível saber o que causou esse aumento de pressão.

As autoridades informaram ao site que o “cilindro era artesanal, feito com uso de solda simples, e que a conclusão da perícia dirá se esse fator contribuiu ou não para o acidente”.

Em reportagem publicada pelo portal UOL, a esposa da vítima, Eliane Silva, disse que seu marido trabalhava na área havia 28 anos. “Ele gostava muito do que fazia e tinha experiência. Foi uma fatalidade”, afirmou.

Com informações do UOL, G1 e  Blog do Frio

terça-feira, 3 de março de 2020

Proteja seu celular de hackers com essas dicas
Emerson Tormann21:09



No cenário atual, não há dúvida de que o celular seria o primeiro aparelho selecionado pelos usuários como sendo o preferido. Com a alta penetração do uso da tecnologia móvel, a ampla variedade de aplicativos móveis de serviços bancários, pagamento de comerciantes via email, estilos de vida e jogos também foi introduzida como sendo parte de nossa vida diária. As experiências do usuário seriam os principais elementos para o sucesso dos aplicativos móveis.

Além das experiências do usuário e dos layouts sofisticados, outro lado do celular que as pessoas devem procurar é a segurança. Semelhante aos computadores de mesa e laptops, os dispositivos móveis (como iPhones, iPads, dispositivos Android etc.) devem ser protegidos adequadamente para evitar vazamento de informações confidenciais do usuário ou comprometimento dos dispositivos móveis. Como tal, vários pontos de consideração de segurança para facilitar as proteções de dispositivos móveis são ilustrados a seguir:

1. Bloqueie o celular com senha e impressão digital

Se o dispositivo móvel for perdido ou roubado, a proteção por senha / impressão digital poderá impedir o uso não autorizado do dispositivo. No entanto, se uma senha fraca for usada, o dispositivo móvel poderá ser facilmente desbloqueado. Embora não seja fácil definir uma senha complexa no dispositivo móvel, também é recomendável usar uma senha que não possa ser adivinhada com facilidade e ativar um segundo fator de proteção como a impressão digital.

2. Tenha cuidado ao acessar pontos de acesso Wi-Fi / sem fio públicos

Os pontos de acesso Wi-Fi / sem fio públicos são extremamente inseguros. Portanto, tente não realizar transações de pagamento ou transmitir dados confidenciais por meio de pontos de acesso Wifi / Wireless públicos. Considere também o uso de criptografia, como SSL ou VPN do Brasil, se possível ao fazê-lo.

3. Não deixe seu celular sem vigilância

O dispositivo deixado sem vigilância pode ser furtado. Também aumenta o risco de uso não autorizado do dispositivo ou até de vazamento de dados. Como tal, a configuração de senha / impressão digital seriam as formas possíveis de proteger os dados e o dispositivo.

4. Evite os recursos de pagamento automático ou logon automático sem re-confirmação

Os serviços de pagamento móvel podem trazer excelentes experiências para o usuário. Alguns aplicativos móveis ou serviços da web podem oferecer recursos semelhantes usando “lembrar nome de usuário” ou “lembrar senha”, para que não seja mais necessário digitar a senha para iniciar as ações de login ou pagamento. Se for esse o caso, considere não ativar o "lembrar nome de usuário" ou "lembrar senha" para reduzir o risco de uso não autorizado, caso o dispositivo seja perdido ou roubado. 


5. Tenha cuidado com os esquemas de engenharia social / phishing

Os atacantes sempre buscam informações / dados pessoais sensíveis, porque a venda desse tipo de informação pode gerar lucro. Os cibercriminosos sempre usam meios de engenharia social (como e-mails de phishing, links de URL) para atrair pessoas para fornecer informações pessoais. Portanto, ao navegar na Internet, preste muita atenção aos possíveis links maliciosos que podem ser prejudiciais aos usuários.

6. Considere usar o Modo Privado / Seguro ao navegar na Internet

Os dispositivos móveis da geração atual forneceriam o modo privado / seguro ao navegar na Internet. Para uma perspectiva de segurança e privacidade, considere ativar esse modo para que os comportamentos de navegação do usuário não sejam facilmente rastreados / rastreados.

7. Desative aplicativos e opções não utilizadas

Para reduzir o risco de segurança, sugere-se limitar a utilizar apenas os aplicativos, opções e serviços necessários para os dispositivos móveis. Por exemplo, menos aplicativos instalados, menos atualizações de software para vulnerabilidade de segurança são necessárias. Por outro lado, quando não é necessário usar o Bluetooth ou o Infravermelho, também é recomendável desativá-los para reduzir o risco de acessos de rede anormais aos dispositivos móveis.

8. Mantenha o sistema operacional e os aplicativos móveis atualizados

Para atenuar as ameaças de segurança de dispositivos móveis, é necessário executar atualizações de segurança ou algum patch para os aplicativos e o Sistema Operacional (SO) dos dispositivos móveis, habilitando a atualização automática ou aceitar atualizações de segurança quando solicitado por fontes confiáveis, como fabricantes de dispositivos / SO / aplicativos para para corrigir as brechas ou vulnerabilidades de segurança conhecidas.
Categoria : , ,