sexta-feira, 30 de novembro de 2018

Parabéns ao síndico
Emerson F. Tormann09:09


Responsável legal pelo condomínio, o síndico possui diversas obrigações, como por exemplo gerir e inspecionar reformas em edificações, o que merece uma atenção redobrada, pois qualquer erro pode afetar a vida dos outros moradores.

Cabe ao síndico contratar assessoria técnica de engenharia para organizar as obras e reformas do condomínio conforme as normas e regulamentos vigentes. As manutenções também são regulamentadas e normatizadas devendo, além de estarem em dia, ter a assinatura de um responsável técnico.



» Saiba como foi o Jantar do Dia do Síndico promovido pela Assosindicos DF

terça-feira, 27 de novembro de 2018

Receita Federal institui o Cadastro Nacional de Obras (CNO)
Emerson F. Tormann08:19

Foi publicada hoje, no Diário Oficial da União, a Instrução Normativa RFB nº 1.845 de 2018, que institui o Cadastro Nacional de Obras (CNO) em substituição ao Cadastro Específico do INSS (CEI) , conhecido como Matrícula CEI de Obras.

O novo cadastro tem por finalidade a inscrição de obras de construção civil de pessoas físicas e jurídicas obrigadas ao recolhimento de contribuições previdenciárias instituídas pela Lei nº 8.212, de 24 de julho de 1991.

A necessidade de identificar univocamente as obras de construção civil em um país como o Brasil é inconteste. Até o momento, a matrícula CEI de obras o fazia com foco na titularidade da obra. Para cada responsabilidade abria-se um novo registro.

Com o CNO, cria-se um verdadeiro cadastro de obras. A inscrição no CNO será única do início ao fim da obra. Nos casos em que ocorrer alteração de responsabilidade, o novo responsável deverá comparecer à unidade da Receita Federal, independentemente da jurisdição, para efetuar a transferência de responsabilidade.

As inovações inseridas pelo CNO visam simplificar a forma como as informações serão prestadas pelo usuário e preservar a confiabilidade dos dados cadastrais, permitindo uma melhor gestão sobre a regularização e o controle das obras.

Alinhado com essa diretriz, tem-se os seguintes aperfeiçoamentos e facilitações ao cidadão:

1. O contribuinte poderá efetuar a inscrição da obra e algumas alterações no cadastro diretamente de sua residência ou estabelecimento.

2. O CNO não é um cadastro do responsável, mas sim da obra. Dessa forma, ela permanece identificada, independentemente de quem seja o seu responsável

3. Novas funcionalidades evitam que o cidadão se desloque à unidade da Receita Federal. Por exemplo: para efetuar inscrição de obra cujo tipo de responsabilidade seja de Consórcio ou uma Construção em nome coletivo, não há mais necessidade de comparecimento a uma unidade de atendimento da Receita. O sistema busca, no CPF e no CNPJ, os dados dos corresponsáveis informados no momento da inscrição da obra.

4. O CNO está desenhado para ser integrado ao Serviço Eletrônico de Regularização de Obra (SERO) sistema responsável pela regularização da obra, automatizando os cálculos do tributo devido.

5. O CNO permite o pré-preenchimento dos dados cadastrais com informações do Alvará. Atualmente o cidadão precisava preencher manualmente esses dados.

O CNO será implantado em duas etapas:

1. A partir de novembro/2018 com acesso somente pelas unidades de Atendimento da Receita Federal;

2. A partir de 21 de janeiro/2019 estará disponível para acesso pela sociedade, via e-CAC, sítio da Receita Federal e pelas unidades de Atendimento da Receita Federal.

Fonte: Ministério do Trabalho

quinta-feira, 22 de novembro de 2018

FATOR DE POTÊNCIA - A MUDANÇA DO PARADIGMA
Emerson F. Tormann17:41


Por Cilmo Alencar de Oliveira*

A energia elétrica começou a ser utilizada de forma sistemática, no mundo, há pouco mais de 120 anos. No início, era utilizada basicamente como luz e força. A luz era gerada pelas lâmpadas incandescentes, e a força pelos motores elétricos.

Aos motores elétricos está associada uma propriedade elétrica chamada indutância. O funcionamento dos motores elétricos, todavia, não era e não é muito simples. Com efeito, quando conectados à rede elétrica, os motores elétricos incorporam uma propriedade elétrica chamada de indutância, que causa um tipo de irregularidade na rede elétrica conhecido como baixo fator de potência indutivo.

Para compensar a indutância e minimizar sua influencia negativa, foi criado todo um sistema de controle com a utilização de capacitores, componente eletrônico que tem o comportamento elétrico contrário ao dos indutores. Esta técnica foi adotada em todo o mundo, fazendo com que na maioria das entradas de energia dos edifícios tivesse um circuito para sensoriamento, controle e acionamento dos capacitores. Em todos os países foi criada a legislação para regulamentar o tratamento deste problema com a aplicação de multa por excesso de indutância.

Com o desenvolvimento da eletrônica, surgiram os equipamentos eletrônicos, entre eles os equipamentos de som, de imagem, de entretenimento, eletrodomésticos, etc. O que diferenciou esses aparelhos foi que a alimentação de energia passou a utilizar uma fonte linear, isto é, uma fonte de energia que sempre tinha um transformador, que, todavia, apresentava uma indutância, como os motores. Estas fontes tinham baixa eficiência, tamanho e peso elevados, além de alto custo.

Com o surgimento dos computadores pessoais, foi desenvolvida uma nova tecnologia, as chamadas fontes chaveadas, com maior eficiência, menor tamanho e menor custo. A estas fontes, ao contrário das fontes lineares, está associada uma propriedade elétrica chamada capacitância, que também causa na rede elétrica irregularidade semelhante à causada pela indutância. Entretanto, além de causar fator de potência negativo, as fontes chaveadas causam também a chamada distorção harmônica, outro fenômeno de perturbação da qualidade da energia. Quanto à iluminação, as antigas lâmpadas incandescentes foram substituídas pelas fluorescentes eletrônicas (há aproximadamente uns 20 anos) e, depois (há uns 6 ou 7 anos), pelas lâmpadas de led, que também são capacitivas. Já havíamos identificado em Brasília alguns edifícios recém-construídos que passaram a adotar as novas tecnologias e, portanto, apresentam fator de potência capacitivo. Entretanto, o Liberty Mall é o 1º caso de um edifício antigo em que o fator de potência mudou de indutivo para capacitivo.

A presença real dessa nova abordagem tecnológica nos permite afirmar que está ocorrendo mudança radical de paradigma na correção do fator de potência, causada pela capacitância e não na indutância, o que significa que, confirmando-se a tendência, a indústria elétrica/eletrônica terá de enfrentar o desafio de desenvolver novos dispositivos para efetuar o sensoriamento e correção do fator de potência tanto indutivo quanto capacitivo, com o possível emprego tanto de capacitores quanto de indutores. Até a legislação vigente terá que ser alterada para se adequar a esta nova realidade.

Brasília, 6 de novembro de 2018.

Cilmo Alencar de Oliveira é engenheiro eletricista formado pela UnB e possui mais de 40 anos de experiência nas áreas de elétrica, eletrônica e de infra-estrutura. CREA-DF 1823/D

sexta-feira, 2 de novembro de 2018

Inscrições para cursos técnicos integrados ao ensino médio vão até 8 de novembro
Emerson F. Tormann13:19

Cadastros para mais de 3,2 mil vagas para jovens e adultos devem ser feitos pelo site da Secretaria de Educação


Alunos do ensino médio do Distrito Federal podem concorrer a 3.239 vagas em cursos técnicos profissionalizantes gratuitos que serão oferecidos em 2019 em diversas escolas da cidade.

As inscrições deverão ser feitas desta segunda-feira (29) até 8 de novembro pelo site da Secretaria de Educação.

Unidade de ensinoCursoVagas
Centro de Educação Profissional – Escola Técnica de BrasíliaEletrônica252
Eletrotécnica252
Informática360
Telecomunicações168
Centro de Educação Profissional – Escola Técnica de CeilândiaAdministração315
Administração integrado à educação de jovens e adultos (a distância)

100
 
Informática
 
315

Informática integrado à Educação de Jovens e Adultos (a distância)100
Logística140
Centro de Educação Profissional – Escola Técnica de PlanaltinaAnálises clínicas140
Enfermagem95
Nutrição e dietética95
Saúde bucal145
Centro de Educação Profissional Articulado do Guará – Professora Teresa Ondina MalteseComputação Gráfica216
Enfermagem200
Centro Educacional 2 (CEd 2) do CruzeiroServiços públicos integrado à educação de jovens e adultos70
Centro Educacional Irmã Maria Regina Velanes RegisControle ambiental integrado à educação de jovens e adultos46
Centro de Ensino Médio Integrado (Cemi) do GamaInformática integrado ao ensino médio80
Cemi do CruzeiroInformática para internet integrado ao ensino médio150
Centro de Educação Stella dos Cherubins Guimarães TroisInformática para internet integrado ao ensino médio140





No caso do Cemi do Gama, o candidato deverá ir à unidade de 29 de outubro a 13 de novembro para homologar e validar a inscrição presencialmente, depois de ter feito a etapa on-line.
EDIÇÃO: MARINA MERCANTE
VINÍCIUS BRANDÃO, DA AGÊNCIA BRASÍLIA
Categoria : , , ,

quinta-feira, 1 de novembro de 2018

IFB abre inscrições para cursos técnicos
Emerson F. Tormann19:08



O Instituto Federal de Brasília divulgou no dia 26 de outubro, o processo seletivo para preenchimento de 2.315 vagas em cursos gratuitos para o primeiro semestre de 2019. As oportunidades são para cursos técnicos em diversas modalidades nos dez campi do IFB, espalhados por todo o Distrito Federal: Brasília, Ceilândia, Estrutural, Gama, Planaltina, Recanto das Emas, Riacho Fundo, Samambaia, São Sebastião e Taguatinga.

As inscrições estarão abertas no período de 1.º a 30 de novembro de 2018 e serão realizadas pelo site processoseletivo.ifb.edu.br. A seleção será efetuada por meio de sorteio eletrônico. Todo o processo de inscrição é gratuito. As aulas estão previstas para começar em fevereiro de 2019.


Entenda as modalidades

Há oportunidades em cursos técnicos subsequentes presenciais e a distância, integrados ao Ensino Médio e integrados na modalidade Educação de Jovens e Adultos (PROEJA). Há também a opção de Regime de Alternância no Curso Técnico em Agroindústria – subsequente e concomitante. Entenda, abaixo, cada uma das modalidades e veja em qual delas você se enquadra.

Integrado (Curso Técnico + Ensino Médio no IFB) – Cursos para quem acabou de concluir o Ensino Fundamental. Duração média de 3 anos. O estudante cursa disciplinas comuns do Ensino Médio juntamente com as matérias de um curso técnico.

Integrado – Proeja (Curso Técnico + Ensino Médio no IFB) – Cursos para maiores de 18 anos que cursaram o Ensino Fundamental, mas não concluíram o Ensino Médio. Duração média de 3 anos.

Concomitante (Curso Técnico no IFB + Ensino Médio em outra escola) – Esta modalidade é voltada para os estudantes que estejam cursando o Ensino Médio em outra escola. Assim, ele fará ao mesmo tempo o Ensino Médio, em sua escola de origem, e o curso técnico no IFB.

Subsequente (Pós-Médio) – Para quem já concluiu o Ensino Médio. Duração de 1 a 2 anos.

Regime de Alternância – O ensino é organizado em função do trabalho, e o estudante alterna períodos regulares de aprendizagem na escola, com períodos de convívio com a comunidade.


Reserva de Vagas

O IFB reserva vagas em seus processos seletivos para pessoas oriundas de escolas públicas, pessoas com deficiência, pessoas que se autodeclarem preto, pardo ou indígena e para os que tenham renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário-mínimo.

Se você se encaixa nessas características, pode solicitar reserva de vaga no ato da inscrição on-line e procurar o campus do IFB no qual selecionou o curso para entregar, até o dia 30 de novembro, formulários específicos descritos nos editais e os documentos que comprovem suas declarações.

A comissão do processo seletivo irá analisar os documentos e publicará o resultado preliminar no dia 6 de dezembro. Caso queira contestar, o candidato pode fazê-lo nos dias 7 e 10 do mesmo mês. O resultado final da lista de candidatos para reserva de vagas será divulgado no dia 12 de dezembro. Quem se candidatar à reserva de vaga e não entregar a documentação comprobatória, passa a concorrer, automaticamente, nas vagas destinadas à ampla concorrência.


Editais

É importante que o candidato leia o edital do curso de interesse por completo.

Edital nº 33/RIFB – Técnico em Segurança do Trabalho Subsequente ao Ensino Médio na Modalidade a Distância

Edital nº 34/RIFB – Técnicos Integrados ao Ensino Médio Presenciais

Edital nº 35/RIFB – Técnicos Integrados Presenciais na Modalidade PROEJA

Edital nº 36/RIFB – Técnico em Agroindústria Subsequente e Concomitante ao Ensino Médio em Regime de Alternância

Edital nº 37/RIFB – Técnicos Subsequentes Presenciais


Cursos Ofertados (por campus)

Campus Brasília
Técnico Subsequente em Eventos
Técnico Subsequente em Desenvolvimento de Sistemas
Técnico Subsequente em Comércio
Técnico Subsequente em Serviços Públicos (vespertino e noturno)
Técnico Integrado ao Ensino Médio em Informática
Técnico Integrado ao Ensino Médio em Eventos

Campus Ceilândia
Técnico Subsequente em Equipamentos Biomédicos
Técnico Subsequente em Segurança do Trabalho EAD
Técnico Integrado ao Ensino Médio em Eletrônica

Campus Estrutural
Técnico Subsequente em Manutenção Automotiva
Técnico Integrado ao Médio em Manutenção Automotiva

Campus Gama
Técnico Subsequente em Logística
Técnico Integrado PROEJA em Administração
Técnico Integrado ao Ensino Médio em Alimentos
Técnico Integrado ao Ensino Médio em Química

Campus Planaltina
Técnico Subsequente em Agropecuária (matutino e vespertino)
Técnico em Agroindústria em Regime de Alternância
Técnico Integrado ao Ensino Médio em Agropecuária

Campus Recanto das Emas
Técnico Subsequente em Áudio e Vídeo (vespertino e noturno)
Técnico Integrado PROEJA em Produção Áudio e Vídeo
Técnico Integrado ao Ensino Médio em Produção de Áudio e Vídeo

Campus Riacho Fundo
Técnico Subsequente em Cozinha
Técnico Subsequente em Panificações
Técnico Integrado PROEJA em Restaurante e Bar
Técnico Integrado ao Ensino Médio em Cozinha
Técnico Integrado ao Ensino Médio em Hospedagem

Campus Samambaia
Técnico Subsequente em Controle Ambiental
Técnico Subsequente em Edificações
Técnico Subsequente em Móveis
Técnico Integrado PROEJA em Edificações
Técnico Integrado ao Ensino Médio em Controle Ambiental
Técnico integrado ao Ensino Médio em Design de Móveis

Campus São Sebastião
Técnico Subsequente em Secretaria Escolar
Técnico Subsequente em Secretariado
Técnico Integrado ao Ensino Médio em Administração

Campus Taguatinga
Técnico Subsequente em Eletromecânica
Técnico Subsequente em Manutenção e Suporte em Informática
Técnico Subsequente em Vestuário
Técnico Integrado PROEJA em Artesanato
Técnico Integrado ao Ensino Médio em Eletromecânica

Saiba mais no Portal IFB