terça-feira, 18 de outubro de 2016

Odebrecht premia inovação e sustentabilidade
Emerson F. Tormann22:40




O Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro, foi palco para a sustentabilidade e a inovação com a cerimônia de entrega da 8ª edição do Prêmio Odebrecht para o Desenvolvimento Sustentável, realizado na noite desta segunda-feira, 17 de outubro. O projeto vencedor da noite foi "Painel solar híbrido: tecnologia capaz de gerar eletricidade e água quente em um sistema único de alta eficiência", do estudante de Engenharia Mecânica Luis Hipólito, da Universidade Federal de Santa Catarina.

O evento contou com uma palestra do ex-iatista e medalhista olímpico Lars Grael, que incentivou os jovens no desenvolvimento de projetos sustentáveis. "Tomara que este seja o início de uma grande ideia que vai prosperar. Se você tem convicção de que a ideia é boa, lute por ela", disse o atleta aos jovens. Lars falou ainda sobre os desafios da sustentabilidade e de como o tema avançou ao longo dos anos. Usando exemplos da vida no iatismo, como a despoluição do Lago Paranoá, no Distrito Federal, o medalhista olímpico alertou que muito ainda tem de ser feito quando o assunto é sustentabilidade, e que as grandes ideias inovadoras podem ser caminho para isso.

A cerimônia foi encerrada com um show do grupo Afroreggae, parceiro da Odebrecht em diversas ações sociais no Rio de Janeiro.

Mais de R$ 300 mil em prêmios

A 8ª edição do Prêmio contou com mais de 250 trabalhos inscritos por 875 alunos e orientados por 269 professores dos cursos de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de 128 instituições de ensino superior no Brasil. Com o objetivo de reconhecer e incentivar os jovens universitários a pensarem em uma perspectiva sustentável, a premiação busca estimular a geração de conhecimento e difundi-lo junto à sociedade e à comunidade acadêmica,

Os projetos são avaliados de acordo com a sua viabilidade econômica, responsabilidade ambiental e inclusão social. Cada trabalho recebeu R$ 60 mil, divididos em R$ 20 mil para o autor (ou autores), R$ 20 mil para o professor orientador e R$ 20 mil em a instituição de ensino. Criado em 2008, o Prêmio Odebrecht já distribuiu R$ 1 milhão ao longo da sua história, só no Brasil. O prêmio também é replicado em outros 11 países.

Veja a lista completa dos projetos vencedores e conheça mais sobre eles no site do Prêmio Odebrecht para o Desenvolvimento Sustentável:

Painel solar híbrido: tecnologia capaz de gerar eletricidade e água quente em um sistema único de alta eficiência
Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC
Aluno: Henrique Luis Hipólito - Engenharia Mecânica
Orientador: Prof. Dr. Sergio Colle

Desenvolvimento de sistema integrado para tratamento de resíduos orgânicos e aproveitamento energético e agrícola dos subprodutos gerados
Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG
Autores: Augusto de Assis Temponi Cabral Dias - Engenharia Ambiental
Catarina Azevedo Borges - Engenharia Ambiental
Orientador: Prof. Dr. Carlos Augusto de Lemos Chernicharo

Formulação de biodetergente comercial para aplicação como dispersante de petróleo e derivados derramados em oceanos
Universidade Católica de Pernambuco - UNICAP
Alunos: Bruno Galdino de Freitas - Engenharia Química
Juliana Gabriela Moura Brito - Engenharia Química
Orientadora: Profª. Dra. Leonie Asfora Sarubbo

Produção de eteno verde assistida por micro-ondas
Instituto Mauá de Tecnologia – Mauá
Alunos: Bárbara Bertin Mente - Engenharia Química
Mônica Caroline Martins - Engenharia Química
Suzana Mayumi Yamaguchi - Engenharia Química
Viviane Ciola Sanchez - Engenharia Química
Orientador: Prof. Dr. Luiz Alberto Jermolovicius

Reúso de água para produção de graute em um canteiro de obras com TBM
Universidade de São Paulo - USP
Alunos: Frederico Zucherato Ribeiro - Engenharia Civil
Vinicius Olmos Battistini - Engenharia Civil
Yuri Libero Florentino - Engenharia Civil
Orientador: Prof. Dr. Flávio Leal Maranhão

Fonte: Odebrecht


Torre de TV - Brasília / DF
Sobre o blogueiro Emerson F. Tormann Possuo conhecimentos avançados em engenharia de redes de computadores e infra estrutura de servidores (o famoso CPD). Cabeamento estruturado: lógica, elétrica estabilizada (nobreak/gerador) e telefonia (centrais telefônicas). CFTV e sistemas de monitoramento e inspeção remotos. Facebook e Twitter