terça-feira, 28 de junho de 2016

Rede de drogarias investe em painéis de energia solar
Emerson F. Tormann12:32

Pague Menos inaugura em julho um novo parque gerador fotovoltaico em Hidrolândia; sistema promete gerar uma redução de custos de R$ 62 mil



- Na rede de farmácias Pague Menos a sustentabilidade deixou de ser uma meta e já faz parte do DNA da empresa. Com um centro de distribuição (CD) em Fortaleza abastecido parcialmente com energia solar, e diversos projetos ligados ao meio ambiente, a rede lançará em julho um novo parque gerador.

A expectativa é que o sistema, que será inaugurado no CD da região de Hidrolândia (GO), consiga suprir 100% do consumo mensal de energia do centro, gerando uma economia de mais de R$ 62 mil ao ano. Ao final de 20 anos - prazo total do contrato com a Helio Energias Renováveis - a expectativa é de uma economia de cerca de R$ 3 milhões.

Com 378 kWp de potência, o equivalente para abastecer aproximadamente 353 residências por mês, o parque terá uma capacidade mensal de produção de 50.192 kWh de energia, evitando a emissão de 557 toneladas de CO2 na atmosfera por ano. O CD de Hidrolândia recebeu investimentos de R$ 60 milhões.

"O sistema utiliza 1.426 placas fotovoltaicas, ocupando 3.801 m² instalados na cobertura do centro de distribuição. As placas estão estrategicamente dispostas para receber maior incidência solar ao longo do dia, aproveitando ao máximo sua capacidade de produção", detalha a diretora de operações da Helio Energias Renováveis, Tâmara Cidade.

Para o diretor de expansão da Pague Menos, Carlos Henrique Queirós, o investimento vem em linha com dois pilares da companhia: a inovação e a cidadania. "Nosso intuito vai além da redução de custos, queremos mostrar para os nossos clientes que estamos preocupados com tudo aquilo que impacta o meio ambiente", afirma o executivo ao DCI.

Investimento anterior

O investimento da empresa em energias renováveis não começou agora. Na realidade, em dezembro do ano passado a Pague Menos implantou seu primeiro parque gerador de energia solar no CD de Fortaleza. A capacidade de produção desse primeiro sistema, no entanto, é consideravelmente menor do que a do que será construído em Goiás.

A meta era suprir 30% do consumo médio mensal do centro de distribuição. Atualmente, o sistema já é responsável por 26% da produção da unidade e - da data de seu lançamento até fevereiro deste ano - a economia com o sistema foi de cerca de R$ 5 mil. O CD possui uma estrutura de 588 placas fotovoltaicas e já gerou 65.525,83 kWh, o equivalente à energia que seria consumida por 32 casas durante um ano, ou 47 toneladas de carbono que teriam sido emitidos na atmosfera.

Usinas solares

Na região de Fortaleza, além do parque gerador a empresa construiu também duas usinas solares, em Limoeiro do Norte, com o objetivo de abastecer com energia do sol as farmácias da região. "A ideia é que até maio do ano que vem as 111 farmácias que temos na grande fortaleza sejam abastecidas 100% com energia solar gerada dessas duas usinas", afirma Queirós, explicando que uma das usinas abasteceria 50 farmácias e a outra 61 unidades da rede. Os planos ligados ao abastecimento com energia solar das lojas da empresa também devem se estender para a região de Goiás. Em Hidrolândia, conta o executivo, uma usina solar deve ser construída em breve, visando também o abastecimento com energia do sol das farmácias dessa região.

Próximos passos

Além dos projetos ligados ao uso de energia renovável nos centros de distribuição e drogarias da rede, o diretor de expansão conta que a empresa está com um projeto inicial de construir o que seria a primeira farmácia 100% ecologicamente correta.

"Seria uma megastore de 3 mil metros quadrados, em Fortaleza. Estamos tentando viabilizar o projeto ainda. Mas a ideia seria reciclar todo o material das obras e todos os dejetos que fossem gerados dentro dessa unidade, e usar para lavar caminhão, para lavar o piso. Temos a ideia também de fazer uma coleta de água suja", explica Queirós.

Mesmo com esse projeto ainda não viabilizado, o executivo conta que a rede já tem feito um trabalho forte para adequar suas lojas aos padrões de sustentabilidade. Um exemplo é colocar lâmpadas LED em todas as unidades, que têm uma vida útil maior e são mais ecológicas.

"Temos feito também doações de árvores e, em 15 farmácias da Grande Fortaleza, tiramos duas vagas de carro, e transformamos em vagas para bicicletas. Fizemos o mesmo em oito drogarias de Goiás. Queremos fomentar o uso de um transporte que não polui o meio ambiente", explica.

Fonte: DCI (SP)


Torre de TV - Brasília / DF
Sobre o blogueiro Emerson F. Tormann Possuo conhecimentos avançados em engenharia de redes de computadores e infra estrutura de servidores (o famoso CPD). Cabeamento estruturado: lógica, elétrica estabilizada (nobreak/gerador) e telefonia (centrais telefônicas). CFTV e sistemas de monitoramento e inspeção remotos. Facebook e Twitter