sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Em MG, presos podem pedalar para gerar energia limpa (e em troca têm redução de pena)
Emerson F. Tormann13:03

Foto: Divulgação/Presídio de Santa Rita do Sapucaí


A cada 16 horas em cima da bike, 24 horas a menos dentro da prisão. Essa é a matemática do projeto Uma Luz para a Liberdade, implantado no Presídio de Santa Rita do Sapucaí, no interior de Minas Gerais.

A ideia foi do juiz José Henrique Mallmann, que ao ver na internet uma academia de ginástica que usava a energia cinética – isto é, de movimento – produzida pelos clientes para fazer os equipamentos elétricos funcionarem, quis trazer a iniciativa para dentro da prisão de Santa Rita do Sapucaí. “Afinal, a saúde do preso é responsabilidade do Estado”, disse em entrevista ao Jornal do Brasil.

Quatro bicicletas que estavam paradas na delegacia da cidade foram instaladas no pátio do presídio, para viabilizar o projeto. Os presos podem pedalá-las, em revezamento, das 8h às 17h. Os minutos que passam em cima da magrela são, então, contabilizados pelos guardas e garantem redução de pena para os detentos.

E a energia produzida pelas pedaladas? Fica armazenada em uma bateria e é usada, todas as noites, para iluminar uma das principais praças da cidade. Assim, os presos podem se exercitar na prisão, ‘matar o tempo’ e, de quebra, ajudar a comunidade.

Segundo Mallmann, a iniciativa está fazendo sucesso – dentro e fora do Brasil. Até autoridades da China já entraram em contato para conhecer o projeto e, quem sabe, reproduzi-lo do outro lado do mundo.

Foto: Divulgação/Presídio de Santa Rita do Sapucaí


Torre de TV - Brasília / DF
Sobre o blogueiro Emerson F. Tormann Possuo conhecimentos avançados em engenharia de redes de computadores e infra estrutura de servidores (o famoso CPD). Cabeamento estruturado: lógica, elétrica estabilizada (nobreak/gerador) e telefonia (centrais telefônicas). CFTV e sistemas de monitoramento e inspeção remotos. Facebook e Twitter