segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Metade do DF fica sem luz
Emerson F. Tormann11:46

Queimada entre subestações de Furnas obriga CEB a reduzir cargas em vários pontos



Uma falha no Sistema Interligado Nacional de Furnas deixou 48% do DF sem energia elétrica. Em vários pontos da cidade 480 mil relógios deixaram de funcionar e os moradores foram afetados por picos de luz ou mesmo falta de energia por horas. O metrô parou de funcionar por cerca de uma hora e a Companhia de Saneamento Ambiental do DF (Caesb) solicitou que a
população racione água este fim de semana, sobretudo nas regiões de São Sebastião, Jardim Botânico, Fercal e Setor de Mini Chácaras de Sobradinho. Áreas em que o abastecimento depende da energia elétrica para o bombeamento da água para as caixas d'água. A redução no consumo "será importante para ajudar na normalização do sistema de abastecimento, beneficiando toda a população", informou por meio de nota.

Um incêndio de grandes proporções na área de Cerrado, entre as subestações Samambaia e Brasília Sul, danificou a fiação que faz a distribuição da energia. O problema ocorreu por volta das 15h, quando o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) comunicou à Companhia Energética de Brasília (CEB) sobre a necessidade de reduzir o funcionamento. De acordo com a
comunicação da companhia, a empresa diminuiu as cargas na capital federal para evitar maiores problemas e, às 17h15, tudo foi restabelecido. Até o fechamento desta edição, uma equipe de 30 homens do Corpo de Bombeiros combatia as chamas em Furnas.

Prejuízo

Lago Sul, Plano Piloto, Sudoeste, Cruzeiro, São Sebastião, Guará, Paranoá e Sobradinho foram algumas das regiões administrativas afetadas. Funcionários de uma padaria no Jardim Botânico relataram que ficaram sem luz por mais de uma hora.

Alguns produtos que precisam de refrigeração estragaram e parte das vendas não pôde ser concluída, pois as máquinas de cartão não estavam funcionando. O estabelecimento, no entanto, não teve grandes prejuízos.

A administradora Sueli Pimenta dos Santos, 55 anos, é moradora do Jardim Botânico e afirmou que, por volta das 15h30, todo o local ficou sem luz. "Foi em tudo, nas casas, na rua e até no posto de gasolina. Minha filha me disse que no condomínio dela também acabou a luz", contou. A administradora disse que nada na geladeira estragou, mas que ainda não tinha conferido se
todos os eletrodomésticos ou aparelho eletrônicos estavam funcionando normalmente após o apagão. No Sudoeste, por duas vezes, as profissionais de um salão de beleza precisaram interromper o atendimento pela falta de luz.

Quando a energia foi restabelecida, perceberam que o computador da loja estava queimado. Após um dia cansativo de trabalho, a bancária Vanessa Sobreira Pereira, 34 anos, teve que subir 17 andares de escada, pois os quatro elevadores do condomínio onde mora no Guará II estavam quebrados. "Por conta do pico de energia, os ascensores pararam de funcionar. Mais de meia hora depois, um deles voltou a operar sozinho, os outros, só depois de duas horas, quando os técnicos chegaram", comentou.

No Hospital Universitário de Brasília (HUB), ocorreram vários picos de energia seguidos. O problema foi suficiente para causar transtornos. Um dos elevadores da unidade parou de funcionar e uma pessoa ficou presa. Funcionários do Senado e do Ministério das Relações Exteriores foram liberados.

Estações fechadas

Por cerca de uma hora, a Companhia do Metropolitano do DF fechou todas as estações do metrô. Os trens conseguiram chegar até as estações com lentidão e os passageiros foram evacuados e obrigados a pegar ônibus. De acordo com a assessoria de imprensa da empresa, nenhum dos terminais registrou confusão. A decisão de suspender os serviços ocorreu porque a energia dos trilhos estava intermitente e poderia danificar as linhas.


Fonte: Correio Braziliense


Torre de TV - Brasília / DF
Sobre o blogueiro Emerson F. Tormann Possuo conhecimentos avançados em engenharia de redes de computadores e infra estrutura de servidores (o famoso CPD). Cabeamento estruturado: lógica, elétrica estabilizada (nobreak/gerador) e telefonia (centrais telefônicas). CFTV e sistemas de monitoramento e inspeção remotos. Facebook e Twitter