quinta-feira, 2 de julho de 2015

Setor Elétrico: Curtas
Emerson F. Tormann11:52

Atraso em novas usinas custou R$ 1,9 bi

O brasileiro pagou R$ 1,9 bilhão nas contas de luz entre janeiro e abril, somente para compensar o atraso na entrada em operação de novas usinas, segundo cálculos da consultoria PSR. O montante foi composto por quase a metade da arrecadação com as bandeiras tarifárias, que representaram um faturamento extra de R$ 3,9 bilhões no mesmo período, segundo dados da Aneel. Reuters


Copel estende prazo de dívida com o BB

O Conselho de Administração da Copel aprovou repactuação de dívida de R$ 650 milhões, dos quais R$ 600 milhões referem-se ao valor principal e o restante à parcela de juros acumulados, segundo ata de reunião realizada ontem. De acordo com a área de Relações com Investidores da Copel, o empréstimo com o Banco do Brasil teria duas parcelas de R$ 300 milhões, uma com vencimento em 21 de julho de 2015 e outra em 21 de julho de 2016, que foram repactuadas para a mesma data de 2017 e 2018, sem mudanças nas demais condições. Jornal do Commercio (RJ)


Energia da Chesf

Um grupo de sete eletrointensivas do Nordeste recorreu ao judiciário para assegurar o fornecimento de energia previsto na Medida Provisória 677/15, publicada em 23 de junho, que trata da prorrogação de contratos com a Companhia Hidro Elétrica de São Francisco (Chesf). Os contratos venceram na terça-feira e, apesar da evolução das negociações, o curto período de tempo entre a publicação da MP e o término da vigência dos acordos foi insuficiente para o entendimento sobre todas as cláusulas e assinatura dos novos aditivos, segundo avisos enviados pelas empresas à Comissão de Valores Mobiliários (CVM). A liminar garante o fornecimento de energia sem prejuízo da continuidade das negociações com a Chesf. Valor


Eneva adia capitalização

A empresa de energia Eneva, em recuperação judicial, resolveu cancelar ontem a assembleia geral extraordinária em que seus acionistas deliberariam sobre um aumento de capital de até R$ 3,65 bilhões. De acordo com a companhia, o problema é que até o momento não foram alcançadas as condições necessárias para implementar a capitalização, segundo seu plano de recuperação. Dentre as exigências, está a postergação do vencimento do empréstimo-ponte de Parnaíba II em dois anos. Valor


Categoria :


Torre de TV - Brasília / DF
Sobre o blogueiro Emerson F. Tormann Possuo conhecimentos avançados em engenharia de redes de computadores e infra estrutura de servidores (o famoso CPD). Cabeamento estruturado: lógica, elétrica estabilizada (nobreak/gerador) e telefonia (centrais telefônicas). CFTV e sistemas de monitoramento e inspeção remotos. Facebook e Twitter